NYC Real Estate Market 2018 Q4 Report

The fourth quarter of 2018 Manhattan’s housing market faced unfavorable family winds earlier this year as buyers hesitated, despite moderating prices and increased availability. Closed sales across the market declined as potential buyers dealt with a confluence of factors that created market uncertainty. Buyer concerns included rising mortgage interest rates, tax reform, financial market volatility, foreign capital restrictions, and political distractions. As a consequence, many potential buyers are choosing to wait until prices adjust to a more affordable level and other market factors calm down.

The closures of the fourth quarter of 2018 fell 7% a year to just under 2,800 sales, bringing the 2018 total to approximately 11,800 transactions, the lowest annual sales since 2009. A weaker condominium market has led sales to fall in this quarter respectively at 12 percent and 26 percent, year on year. Closures of resale co-operatives were essentially leveled with last year. Contract activity also declined, with fewer than 12% of contracts signed in relation to the fourth quarter of 2017. At the same time, fewer sales, eager sellers, and new development launches have increased inventory. The number of apartment listings available during the fourth quarter of 2018 was nearly 7,000 units, a maximum of seven years.

As some sellers relaxed their expectations amid chilled demand, the average price fell 2 percent in the final quarter of 2018 to $ 1,075 million. In the market, the average price and price per square meter are below the peak and back to the 2015 numbers. However, the average price rose 2% to $ 2.010 million, largely due to the start of closures by 220 Central Park South and 520 Park. While changes from the previous year were minimal, those figures fell by 10% and 7%, respectively, compared to the peaks reached in 2017.

No quarto trimestre de 2018, o mercado imobiliário de Manhattan enfrentou ventos familiares desfavoráveis ​​no início deste ano, à medida que os compradores hesitavam, apesar da moderação dos preços e do aumento da disponibilidade. As vendas fechadas em todo o mercado diminuíram à medida que os potenciais compradores lidavam com uma confluência de fatores que criavam incerteza no mercado. As preocupações do comprador incluíam o aumento das taxas de juros das hipotecas, a reforma tributária, a volatilidade do mercado financeiro, as restrições ao capital estrangeiro e as distrações políticas. Como consequência, muitos compradores em potencial estão optando por esperar até que os preços se ajustem a um nível mais acessível e outros fatores de mercado se acalmem.

Os fechamentos do quarto trimestre de 2018 caíram 7% ao ano para pouco menos de 2.800 vendas, elevando o total de 2018 para aproximadamente 11.800 transações, o menor faturamento anual desde 2009. Um mercado de condominios mais fraco levou as vendas a cair neste trimestre respectivamente aos 12 anos. por cento e 26 por cento, ano a ano. Fechamentos de cooperativas de revenda foram essencialmente nivelados com o ano passado. A atividade de contrato também diminuiu, com menos de 12% dos contratos assinados em relação ao quarto trimestre de 2017. Ao mesmo tempo, menos vendas, vendedores ávidos e novos lançamentos de desenvolvimento aumentaram o estoque. O número de anúncios de apartamentos disponíveis durante o quarto trimestre de 2018 foi de aproximadamente 7.000 unidades, um máximo de sete anos.

Como alguns vendedores relaxaram suas expectativas em meio à demanda refrigerada, o preço médio caiu 2% no último trimestre de 2018, para US $ 1.075 milhões. No mercado, o preço médio e o preço por metro quadrado estão abaixo do pico e voltam aos números de 2015. No entanto, o preço médio subiu 2% para US $ 2,010 milhões, em grande parte devido ao início dos fechamentos por 220 Central Park South e 520 Park. Embora as mudanças em relação ao ano anterior tenham sido mínimas, esses números caíram 10% e 7%, respectivamente, em comparação com os picos alcançados em 2017.